Massagem e auto estima: tudo a ver.

Olhar-se no espelho e gostar do que está vendo. É o sonho de muitas pessoas, de todas as idades. Grande parte da população do planeta luta, todos os dias, para viver essa sensação de “estar de bem consigo mesmo”. Quem tem recursos financeiros e não precisa se preocupar em controlar os gastos com a estética pode experimentar diversos tipos de tratamentos, dentro e fora do país. Mas, nem sempre a satisfação é completa.

Já para quem precisa controlar os gastos a situação se complica um pouco.

De qualquer forma, a frustração por não conseguir estar como gostaria pode levar a pessoa a um estado de depressão, o que, naturalmente, poderia prejudicar o relacionamento com outras pessoas, possibilitar a instalação e o desenvolvimento de doenças. A autoestima vai lá para baixo.

A massagem relaxa, alinha a coluna, alivia dores, combate a depressão e a insônia, elimina o cansaço; ajuda a normalizar o metabolismo, de forma que a pessoa ganha ou perde peso, dependendo da sua necessidade; faz drenagem linfática; estimula a produção de colágeno; melhora a elasticidade da pele; ativa a circulação sanguínea, normalizando a pressão, melhorando a desintoxicação e a oxigenação da pele; melhora a atividade das células da pele (mais saúde, menos celulite); estimula a produção de serotonina, conhecido como o hormônio do bem estar; ajuda a aumentar a libido.

Ativando glândulas sebáceas e glândulas de suor, também auxilia o organismo a livrar-se, através da pele, ao invés dos rins, de materiais cosméticos acumulados.

Os raios infravermelhos longos alcançam os tecidos subcutâneos do corpo através de sua habilidade de penetração profunda, gerando um aquecimento molecular e ativando os tecidos vivos.

Os benefícios na beleza física – Devido ao fato da massagem estimular os capilares, células, tecidos e melhorar o metabolismo, a pessoa poderá sentir a sua pele com mais elasticidade, firmeza e maciez.

Deixe uma resposta

Fechar Menu