A massagem tântrica não é uma filosofia

Massagem tântrica
Massagem tântrica é pele. É alma

“A massagem tântrica não é uma filosofia, o Tantra é absolutamente existencial, não falo do existencialismo de Sartre, Camus, Marcel, e outros. Esse existencialismo é mais uma vez uma filosofia, uma filosofia da existência, mas não do modo Tantra. E a diferença é vasta.

Os filósofos existenciais no Ocidente só tropeçaram no negativo: angústia, angst, depressão, tristeza, desesperança, falta de sentido, falta de propósito – todos os negativos. A massagem tântrica tropeçou em tudo que é belo, alegre, extático. A massagem tântrica diz: A existência é um orgasmo, um orgasmo eterno que continua e continua e continua. É para sempre um orgasmo, um êxtase.

Eles devem estar movendo-se em direções diferentes. O Sartre fica sempre pensando existência. A massagem tântrica diz: Pensar não é a porta. Não leva a lugar nenhum, é um beco sem saída; só lhe traz uma situação sem solução. Filosofia é formidável – se você estiver apenas brincando, então a filosofia é formidável; você pode fazer tempestade em copo de água e desfrutar do passeio…

A Filosofia provou ser um dos esforços mais fúteis… mas ainda assim o homem continua, sabendo perfeitamente bem que ela nunca traz nada. Por quê? Porque continua prometendo, mas nunca traz nada. Então porque é que o homem continua com esse esforço? É barato. Não requer envolvimento, não é um compromisso. Você pode sentar na sua cadeira e continuar a pensar. É um sonho. Não requer que você mude para ver a realidade.

E aí a coragem é necessária, coragem aventureira é necessária. Para conhecer a verdade, você está se movendo na maior aventura que existe. Você pode estar perdido, quem sabe? Você pode nunca voltar, quem sabe? Ou pode voltar completamente mudado e quem sabe se será para o melhor ou não?”

Osho, Tantric Transformation, Capítulo #9

Deixe uma resposta

Fechar Menu